Resenha: Grande Magia, Vida criativa sem medo, de Elizabeth Gilbert.


“Comer, Rezar, Amar” foi um sucesso de vendas - mais de 10 milhões de exemplares vendidos, com a mostra de uma crise de meia-idade, a qual uma vida bem estruturada, com dinheiro e companhia pode ser infeliz. Tanto que foi adaptado para as telinhas do cinema com o título homônimo, estrelado pela atriz Julia Roberts e Javier Bardem, que viveu algumas das emoções autobiográficas de Elizabeth Gilbert.
Esta escritora trouxe em 2015 mais de suas percepções, com o livro “Grande Magia, Vida Criativa Sem Medo”, pela Editora Objetiva.
A ler este livro, pude notar que "X da questão é que o desconhecido geralmente dá medo, insegurança, e pode até travar emocionalmente o ser humano. Viver na zona de conforto, em regra, é mais tranquilo, mas não dá aquele contentamento genuíno, aquela alegria que nasce de dentro para fora, nem borboletas na barriga, sorriso fácil... Pior, gera frustração e ao longo do tempo, até doenças físicas e psíquicas.
A obra relata com ironia, humor e inteligência que é preciso acordar e ter coragem para mudar, superar a rotina, de investir nos sonhos, em favor de uma realidade mais plena e feliz, sozinha ou acompanhada. Em praticamente 200 páginas, a narrativa mostra várias experiências boas e ruins da autora, mas segue sempre na busca de criar dias melhores. Digamos, que a prática de tentativa e erro, em busca de acertos significativos.
Pede para cada pessoa se observar e entender os próprios sonhos e os efeitos que eles poderiam causar na vida prática, com relação a si mesma e com o mundo, de fazer coisas diferentes do day by day, e ainda, sugere escrever um livro, abraçar uma causa, ser resiliente com as questões profissionais até a vida pessoal... Não ficar esperando a felicidade cair do céu, mas sim, festejar o cotidiano, com mais curiosidade, ousadia, alegria, criatividade, prazer. Fazer acontecer!
Usar os dois lados do cérebro - o analítico e o criativo - com ênfase neste, a fim de mudar a rotina de forma que a estrutura continue a mesma - família, trabalho, estudos, casa, vida pessoal etc - desde que o modo de ver e viver seja outro, seja melhor e mais interessante. Me lembrou, da prática daqueles exercícios que melhoram as sinapses do cérebro, como fazer palavras cruzadas, se canhota, usar a outra mão para fazer coisas simples, de caminhar mais do que andar de carro, tentando dar sempre mais um passo a frente, em desafio ao próximo limite.
De vencer o medo e buscar novas ideias que deem emoções, como começar ou voltar a estudar e/ou a trabalhar, aprender um hobby, fazer uma viagem para um lugar com culturas e tradições diferentes da atual; praticar uma atividade física ou um esporte que sempre teve curiosidade etc. Algo que energize o corpo, acelere o coração, e dê mais disposição; um amor que bambeie as pernas, dê um brilho no olhar, faça ter novos sonhos, para buscar em realidade... Que traga mais cor e energia boa, para viver criativamente. 
E como disse a própria Elizabeth Gilbert:
“Quando falo aqui de “viver criativamente”, entenda que não estou necessariamente falando de buscar uma vida que seja dedicada profissional ou exclusivamente às artes. Não estou dizendo que você precisa virar poeta e ir morar no topo de uma montanha na Grécia, que precisa se apresentar no Carnegie Hall ou vencer a Palma de Ouro em Cannes. Não. Quando falo de “viver criativamente”, estou falando de maneira mais ampla. Estou falando de viver uma vida mais motivada pela curiosidade do que pelo medo.E, embora os caminhos e os resultados da vida criativa variem muito de pessoa para pessoa, é garantido: uma vida criativa é uma vida mais ampla. É uma vida maior, mais feliz e muito, muito mais interessante. Viver dessa maneira – contínua e obstinadamente trazendo à tona as joias escondidas dentro de você – é uma arte em si. Porque é na vida criativa que sempre estará a Grande Magia.”


Em suma, sair da zona de conforto, com coragem, resiliência, fé, empatia, generosidade, confiança, persistência, ousadia e criatividade. 
Buscar a grande magia da vida: liberdade em forma de felicidade! 




Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário